As paredes da realidade tremeram

Ontem, no Espaço Terracota, eu ganhei um presentão: um show-livro baseado no Paraíso líquido. Foi emocionante rever trechos dos contos na leitura dramática de Cláudio Brites, cercada pelo som demolidor de Tiago Araújo (violão) e Thiago Camargo (percussão). Quem estava lá viu: uma porta pra outra realidade ficou momentaneamente escancarada. O grupo apresentou muito mais do que uma simples leitura. Eles convocaram compositores da MPB e criaram um espetacular espetáculo musical e literário. Como eu disse, foi um presentão: o primeiro show-livro de que tenho notícia. Talvez o primeiro do planeta.

Deise Sales cantou deliciosamente O que você faria?, de Paulinho Moska, Um índio, de Caetano Veloso, Táxi lunar, de Zé Ramalho, e Cálice, de Chico Buarque. Ísis de Medeiros e Márcia Regina interpretaram o diálogo inicial do conto Memórias. Fui transportado para uma região fabulosa, mais real do que a realidade, em que meus personagens estão vivos, têm rosto, voz. A experiência foi tão bacana que Silvio Alexandre, organizador do simpósio Fantasticon, convidou o grupo para encerrar o evento com outro show-livro. Será no dia 29 de agosto, na Biblioteca Viriato Correa, em São Paulo. Prepare-se, o entusiasmo da galera é ilimitado e o show-livro tupiniquim está apenas começando.

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: