Outro poema de Valerio Oliveira

Tubarao Valerio

viajantes

no dorso
cinza-escuro
deste singular
tubarão-cidade
a vida é plural
     retinas de outono
     acenam barbatanas
          dentes de inverno
          desconhecem
          a satisfação 

no dorso
titanic-estrela
deste singular
tubarão-cidade
somos cem mil surdos
mudos
     na trilha agridoce
     dos vagalumes
     ninguém é
     de ninguém

          amém

Anúncios

Tags: ,


%d blogueiros gostam disto: