Axis mundi

Axis mundi

Nova edição, revisada e ampliada, do ensaio sobre poesia e sagrado na literatura portuguesa do início do século 21.

Axis mundi: o jogo de forças na lírica portuguesa contemporânea, de Nelson de Oliveira, reflete sobre as epifanias disfóricas de doze poetas-videntes que estrearam no final do século passado e fizeram da alquimia lírica e do cotidiano sacralizado seu centro de equilíbrio literário e existencial.

Sumário

Nota espiralada

Introdução

1. Que é poesia?
Definições provisórias
O triunfo do sagrado

2. Lírica de superfície e lírica subterrânea

3. Formação da lírica portuguesa contemporânea
Lírica e níveis de consciência
A Geração de 70 e a poética realista
O visível e o invisível
Os vencidos da vida
A modernidade começa a acenar
O decadentismo-simbolismo
A ruptura modernista e o triunfo do pensamento irracional
Psicologia e misticismo
A denúncia da alienação
A indústria cultural
A desconstrução da linguagem e do sujeito lírico
A alquimia do verbo
Os desastres da guerra
A investigação formalista
A Revolução de 25 de Abril
Na virada do século
História, histórias

4. Doze poetas da virada do século
Adília Lopes: intertextualidade e ironia-anacronismo
António Pedro Ribeiro, o poeta maldito que vai aos bares vomitar poesia
Gonçalo Tavares e a função poliédrica da inquietação filosófica
Manuel de Freitas e o tópico distópico da revolta-sarcasmo
Daniel Faria e a certeza-de-incertezas da liturgia profana
Ana Marques Gastão e a solidão-vazio pós-apocalíptica
Inês Lourenço e a condição alada do profano
José Miguel Silva: verve e rancor, inocência-que-ataca
Luís Quintais e o encontro-desencontro dos seres
José Luís Peixoto e a tautologia dos céus impossíveis
valter hugo mãe e a perversa-reversa relação entre os sexos
Luís Serguilha e os limites pictóricos da linguagem verbal

5. O sagrado e o profano na lírica portuguesa contemporânea
Nova sacralidade: ironia, revolta, melancolia

Doze, hoje

Bibliografia

Posfácil de Valerio Oliveira

+   +   +

O livro pode ser encomendado diretamente com o autor, no e-mail oliveira.e.cia@uol.com.br


%d blogueiros gostam disto: